INCLUSÃO: SINAIS DE ALERTA PARA OS PROFESSORES QUE PODEM INDICAR A PRESENÇA DE TDAH

IMAGEM DE UM MENINO DE CALÇA DE BRIM E CAMISA BRANCA TODO SUJO DE TINTA

SINAIS DE ALERTA PARA OS PROFESSORES QUE PODEM INDICAR A PRESENÇA DE TDAH

 

Segundo pesquisas e estudos na área, o TDAH atinge cerca de 5% das crianças em idade escolar. O comprometimento da sua trajetória escolar pode ser agravado por um diagnóstico tardio. Contudo, professores atentos podem encaminhar estes alunos para uma avaliação, no início de sua trajetória escolar, diminuindo os prejuízos no aprendizado.

O TDAH atinge meninos e meninas onde é mais comum a hiperatividade os meninos e o déficit a atenção nas meninas. Geralmente, é diagnosticado quando a criança entra na escola e exige uma avaliação multidisciplinar.

No TDAH podemos ter os subtipos impulsivo, hiperativo e desatento.

 

Impulsividade/Hiperatividade

  • Inquietude com mãos e pés;
  • Parecem estar ligados no 220V;
  • Em sala de aula, levantam-se várias vezes;
  • Respondem antes que a pergunta tenha sido concluído;
  • Dificuldade em esperar sua vez;
  • Interrompem ou intrometem-se na conversa dos outros;
  • São desastrados.

 

Desatenção:

  • Não prestam atenção a detalhes ou cometem erros por descuido;
  • Dificuldade em manter a atenção em tarefas ou jogos;
  • Parecem não ouvir quando o falam com eles;
  • Dificuldade em organizar tarefas ou atividades;
  • Perdem seus pertences com frequência;
  • São facilmente distraídos por estímulos externos;

 

Tratamento:

  • Ritalina: estimulante dopaminérgico análogo à anfetamina;
  • Bupropriona: dupla ação – nora e dopa;
  • Atomoxetina: seletivo noradrenérgico;
  • Triciclicos: não seletivos noradrenérgicos.

 

ativi614

Grupo formado por professores para divulgação de trabalhos na área da educação especial.